Como escolher o melhor hotel para sua viagem – parte II

Como eu disse no outro post (aqui), escolher um hotel não é a tarefa mais fácil da viagem! O principal ponto, o fator decisivo, o divisor de águas entre um hotel X ou Y, é e sempre será a LOCALIZAÇÃO.

Por mais tempo que você tenha, você não quer gastar 3/4 horas por dia se locomovendo do “mundo de maravilhas dos passeios” pro hotel.  Nem quer ter medo de chegar no hotel depois de uma balada (já basta no Brasil).

Existem alguns mitos em torno de “melhor hotel” pra se hospedar, e apesar de parecer óbvio, muitas vezes não é, principalmente para viajantes de primeira vez:

– Nem sempre o mais caro é o melhor. Nem de longe essa afirmação é verdadeira, ainda mais em se tratando de localização. Exemplo disso é o fato de muitos resorts (caríssimos) estarem localizados longes das grandes cidades por ter uma pegada mais “descanso”. Óbvio que, se é isso que procura, maravilha, mas se você é um viajante querendo conhecer todos os cantinhos da cidade, não rola mesmo.

Nem sempre o centro da cidade é a melhor opção. A gente no começo tem essa sensação, né? Que se vou pra um lugar que nunca vi na vida, devo escolher o centro pra ficar pois além de ser perto de tudo, vou conseguir transitar mais rápido. Eu só te digo quatro palavras: “Centro de São Paulo”. Você prefere ficar lá ou na Paulista? Pois bem, acontece isso em quase todos os países. O centro não é sempre legal. Não é sempre jóia, não vai ser bom pra você voltando da balada passando pelo centro.

Cidades pequenas: Entenda que na Europa, cidade pequena é aquela que tem menos de 35.000 habitantes. Nestes lugares onde o feno rola bastante, é legal focar no centro, realmente fora dele você tá na roça (literalmente ahuauhauhahu)

Cidades grandes: É bem legal escolher a localização do seu hotel/hostel em cidades grandes. Você primeiro traça seu perfil, se é do tipo baladeiro, procure as zonas com mais barzinhos, baladas e onde o pessoalzinho se reúne (nem sei dar dica disso auhahuahu).
Se você faz o tipo “acordo cedo, durmo cedo”, tem regiões bacanas, bem localizadas, porém que tudo fecha cedo e você fica sem nada pra fazer a noite. Perfeito pra pessoas como eu, que usam a noite pra dormir ehehe
Tem gente que gosta também de ter aquela sensação de “morador” durante a viagem, quer se hospedar próximo à bairros, escolas, feiras e mercados. Legal, tem bastante opção em cidades grandes pra isso!

Estrutura pública: Sim, é mega importante ver se tem linhas de trem por perto, metrô, ponto de ônibus, o que quer se seja para facilitar sua locomoção! Isso pode não ser importante se você alugou um carro, por exemplo!

No próximo post vou passar os hotéis que reservamos e porquê os escolhemos!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: